A dança do ventre para todos.

projeto dance com amor


Eu poderia falar que a dança do ventre me atraiu por causa dos figurinos incríveis, a beleza dos movimentos, a sensualidade, a delicadeza, mais existem muitos fatores que me fizeram buscar essa arte. Como muitas bailarinas brasileiras, eu passei a amar essa dança, depois da novela O clone que passou pela primeira vez na Rede Globo em 2001, naquela época eu era uma adolescente e gostava de danças diferentes e de outras culturas. Ninguém sabe dizer o ano exato em que surgiu a dança do ventre, mais segundo os estudos ela existe desde o Egito antigo, onde as mulheres dançavam em reverencia as deusas, em rituais, cultos. Uma dança para reverenciar a fertilidade, celebravam a vida. Com o passar dos anos a dança foi se tornando refinada, com vários estilos estrangeiros, passou de algo exclusivo das mulheres a uma dança mundial, onde hoje me dia temos diversas bailarinas espalhadas pelo planeta. O curioso e que os árabes aceitam a bailarina em apresentação, shows ou eventos, mais não as aceitam como companheiras, não são bem vistas no Egito, o que se torna bem contraditório já que a dança foi criada lá, mais aqui no brasil também temos o carnaval onde as sambistas não são bem vistas por alguns. Quando entrei nesse mundo, não imaginava quantas mudanças eu teria após essa arte. Eu comecei achando que era fácil, que bastava mexer o quadril ou o corpo todo, após algumas aulas eu percebi que estava muito errada, a dança do ventre não é fácil e também não é difícil, ela é como um vendedor que depende de seu esforço para vender, você precisa estudar, ter constância para chegar aos movimentos delicados, limpos e bonitos em uma apresentação. Engraçado e que antes de fazer as aulas, eu nunca tinha ouvido em festas árabes, restaurantes com shows, eventos, mais do nada surge todo esse mundo glamoroso da dança, onde eu passei a frequentar e me apaixonar mais ainda. Como tudo na vida, temos as partes boas e ruins, então eu percebi coisas que me desagradavam, como comparação com outras bailarinas, a cobrança sobre o corpo ideal na sociedade, as famosas “Panelinhas” bailarinas que não aceitam o novo, que somente elas ganham visibilidade por serem “Famosas nas redes sócias”, com o tempo isso e deixado para lá, e você aprendendo a não se importar com isso. Mais eu fui percebendo que muitas mulheres adorariam aprender essa arte, porém muitas em situação de desemprego, baixa autoestima, sedentarismo, depressão, obesidade ou mesmo por se achar acima da idade aceita. Depois de me formar e começar a dar aulas, eu passei a ter uma vontade de ensinar a base, o básico da dança para diversas mulheres, e foi no meio da pandemia, onde todos nós precisávamos estar em casa, que eu criei o projeto Dance com amor. O projeto todo online, onde eu e outra professora, ensinamos o mesmo conteúdo, as aulas são feitas, via zoom, os vídeos gravados são postados no Youtube. Essas alunas, além de aprender, também podem se apresentar em shows ou eventos de suas professoras. Eis que vocês estão se perguntando, com tanta dança para fazer, porque escolher a dança do ventre? Bom eu posso falar por mim, e acredito que também é o mesmo pensamento de muitas bellydancers( Nome americano das praticantes de dança do ventre) você pede delicadeza e boa dança, e com isso ganha , auto confiança, consciência corporal, autoestima, perca da timidez, passa a trabalhar sua expressão, perde calorias, se sente uma deusa , os figurinos que são maravilhosos desde os simples, até os sofisticados, são de cair o queixo, mais além de tudo isso, você faz amizades, passa a conviver com um grupo, onde todas estão estudando e falando a mesma língua. Você se encaixa em um mundo diferente do seu cotidiano, por isso eu digo que a dança do ventre não é apenas uma dança, e um mundo todo a parte do que vivemos, cheio de brilho, beleza, encanto, aprendizado e claro muito estudo, pois você nunca para de aprender. Essa dança carrega com si, um peso muito grande, do preconceito contra as mulheres, da falta de liberdade delas, pois antigamente elas dançavam somente para elas, e após um período quando se tornou comum, ainda são julgadas pela profissão escolhida, mulheres oprimidas, submissas, que se sentiam livres através dessa arte. Olhar marcante, expressões sentidas, leitura musical, sentimentos, técnica e amor, tudo que você vê em uma bailarina, venha conhecer esse universo todo dentro do nosso brasil.

Se você quer aprender essa arte, e seu maior impedimento e o dinheiro, então venha para o nosso projeto, estamos ansiosos pela sua presença e queremos expandir o nosso conhecimento para máximo de pessoas ao redor do nosso país.





2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Primeiro você se apaixona pelas roupas, aqueles figurinos glamorosos, cheio de detalhes, depois você observa o gingado das bailarinas, a delicadeza, velocidade, simpatia e interação dela com o público